Follow by Email

terça-feira, 31 de maio de 2011

Mulheres - Vitor Cesar

"Mulheres serenas, promessas de nada.

mulheres de vento, de sopro divino,
mulheres de sonho, mulheres sentido,
mulheres da vida, melhor ter vivido...
Mulheres de tempo, em que tudo que havia fazia sentido,
mulheres que eu vejo, no sol de janeiro,
mulheres saídas de potes de vidro,
mulheres faceiras, as mais feiticeiras, melhor ter sorrido...

mulheres de tantos e tantos perigos,

mulheres de vinho e de vã harmonia,
mulheres convívio,
mulheres no cio, as mais parideiras, melhor ter nascido...

mulheres de luzes e de absinto,
mulheres que um dia sonhei colorido,
mulheres de santos, mulheres de igrejas,
as mais rezadeiras, melhor sacrifício

mulheres que um dia deitaram comigo,
mulheres tão lindas e de maior juízo,
mulheres de danças,
as tranças nos ombros, meus olhos caídos....

mulheres que fecham a vã poesia,
mulheres que o ouro não tem nem princípio,
mulheres de outono,
o seu abandono, melhor ter carinho...

mulheres de um tempo em que estive sozinho,
mulheres de riso abrindo janelas,
mulheres que sonham,
seu sono macio, melhor o seu ninho....

mulheres do dia e da noite, eternos,
mulheres que lutam, raízes na terra,
mulheres que as feras,
no meio da noite, não mais intimidam...

mulheres espera, no mar do abandono,
mulheres teares, tecendo seu linho,
mulheres tão loucas,
Seu beijo na boca, uma taça de vinho..."

É raro encontrar coisa tão bela como uma mulher tranquila, que saiba manter o equilíbrio e o perca somente nos braços do homem que ama. Uma mulher forte mas que seja delicada em cada gesto e pensamento, a beleza não pode ser efêmera é eterna aos olhos do mundo, é eterna por seu poder, por sua sabedoria, pelo seu "saber ser mulher..."

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Sade - Cherry Pie

"SWEET AS CHERRY PIE, WILD AS FRIDAY NIGHT"

domingo, 29 de maio de 2011

AmarViver


"Para amar é preciso ser, mas para ser é preciso, antes de tudo, amar: pois quem não ama é um simples fantasma." (V.Jankélévitch)


"Não se preocupe em entender, viver ultrapassa qualquer entendimento. Renda-se, como eu me rendi. Mergulhe no que você não conhece, como eu mergulhei. Eu sou uma pergunta!" (Clarice Lispector)

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Eterna Fênix


Enquanto escuto "Try Sleeping With A Broken Heart" da Alicia Keys, resolvi dar uma olhada no blog, desde os 'posts' mais antigos até os mais recentes, comecei a pensar no que escrever hoje, depois de voltar da academia, tomar um bom banho e meditar me senti tão relaxada que tive vontade de dividir minha vibe do dia, hehe
Então ai vai:

"Jamais se desespere em meio às mais sombrias aflições de sua vida, pois das nuvens mais negras cai água límpida e fecunda." Provérbio Chinês

Eu sou conhecida pelos amigos como uma pessoa tranquila, que geralmente não se desespera com qualquer coisa(a não ser com a preocupação em cuidar - às vezes mais do que deveria - daqueles que amo) mas a verdade é que, como todo mundo, fico nervosa SIM, abalada sensível, surtada... Enfim... Tenho meus momentos "out of control", mas a algum tempo atrás eu aprendi o que era a meditação entrei em contato com um tipo de espiritualidade que eu não conhecia, e que me fez tão incrivelmente bem ! Mas o assunto em pauta, que quero manter em foco, não é a meditação e sim o fato de que devemos sempre ter esperança. Manter a calma e enxergar que tudo tem solução se torna um modo de vida, e que melhora o convívio com as pessoas e o contato com o seu "eu", muitas vezes não estamos aptos a encontrar a melhor das soluções, ou até a encontramos, mas ela não alcança nossa satisfação. Os problemas fazem parte da vida, e felizmente, ou infelizmente, sempre farão ! Mas cabe ao nosso bom-senso e paciência a arte de saber lidar com as dificuldades sem entrar em aflição ou agonia. Meu modo de manter o equilíbrio e a paz é meditando, escutando certas músicas e palavras de certas pessoas, buscar inspiração e meios que permitam a admiração da vida e do ser humano, mas cada um se mantém conforme suas vontades e estímulos internos, de forma a alcançar o bem estar.
Pode soar imaturo e ingênuo, mas eu realmente acredito que tudo vai acabar bem, tudo sempre melhora e, por mais que seja difícil de enxergar, todas as situações da vida trazem consequências boas e ruins, porém, depende de cada um de nós, querer e se esforçar para alcançar a felicidade e compreensão. Como a fênix devemos saber renascer das cinzas, nascendo com um brilho intenso e radiando ainda mais energia em cada nova etapa da vida.

Bom...Se você ainda pensa que as estrelas estão acima de você, então ainda há muito a aprender.

domingo, 22 de maio de 2011

Conceito novo Caráter velho


Estou com mil idéias passando pela minha cabeça, elas passeiam distraidamente , se divertindo com meus sentimentos. O engraçado é que elas não são idéias novas, mas nova sou eu. Alguns(poucos) anos a mais, experiências acolhidas na consciência e tolerância, maturidade em relação aos sentimentos - O que pra mim é um GIGANTESCO feito ! Sou absurdamente impulsiva, ou era, dizendo de forma bem piegas, sou como um vulcão prestes a explodir, o que não quer dizer que eu seja uma desequilibrada digna de uma página no "Mulheres Alteradas", mas que tenho esse calor em mim, e uma necessidade imensa de expor, de compor.
Enfim... Voltando às ideias. Elas são antigas, mas foram sendo compostas e completadas na pauta da vida, da MINHA vida, baseadas nas minhas experiências e no meu modo de ver as coisas. Não quero expô-las antes de ter certeza de que caminho seguir, ou até mesmo antes de realizar meus sonhos, não acho que seja algo saudável, colocar em palavras(meras palavras) sonhos que nem mesmo tiveram a chance de nascer, é como dizer que um bebê é lindo, ou ter expectativas em relação a ele antes mesmo de o pequenino ter aberto os olhos ou ter contato com o mundo real, exatamente isso, falta o contato com o mundo real !!! Mas como uma eterna sonhadora e, sem sombra de dúvidas, uma curiosa nata, eu vou buscar SER aquilo que quero hoje, não quero o luxo, ou um trabalho legal... Apesar de que está na lista de desejos, mas não em prioridades... Quero em primeiro lugar a espiritualidade e maturidade, cultura e ausência de pré-conceitos... Busco apenas conceitos.

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Quero esquecer do seu cheiro, do seu jeito... Mas tenho medo de esquecer de tudo.

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Olho espelho


Hum... Hoje o assunto é um pouco diferente dos que costumo abordar. Eu estava deitada na cama, numa segunda-feira, fria e (pra variar) eu estava com preguiça, fato típico de uma segunda. E lendo um estudo sobre o ceticismo, razão e moralidade universais, e outro sobre a "arquitetura do espetáculo", sim, a China e sua evolução, com megaprojetos e uma reurbanização quase inacreditável e comecei a pensar, até que ponto nós podemos chegar para atingir nossos objetivos, do que abrimos mão e do que não abdicamos e o que nos leva a fazer as coisas de um modo ou de outro.
Nossa vida é toda marcada por paradoxos, críticas e falsos-júris. E apesar de inicialmente eu não ter tido o flash automático entre a evolução da China com a pauta da crítica e do "Olho Maligno" de uma determinada sociedade sobre outra, é fácil para qualquer um perceber que estamos acostumados a criticar atitudes, comportamentos e pensamentos alheios mas não usamos para nós mesmos os mesmos critérios e julgamento, para que mudamos até mesmo o juiz, situação coringa eu diria. Quero chegar ao ponto em que deixamos de ver quem somos, o que fazemos, PORQUE FAZEMOS, e onde queremos chegar com nossas atitudes... Não há projetos futuros sobre nós mesmos ! Buscamos apenas saber o que acontece ao outro... Certamente muitos conhecem a história da China, o período pós-socialista, do desvio da atenção popular das mazelas sociais causadas pelo processo de reurbanização, sabem do risco de suscitação de diversas formas de contestação popular aos discursos hegemônicos... Enfim, mas sabem quais os riscos que o Brasil corre em extinguir sua nação origem, de perder suas florestas e prejudicar ainda mais o meio-ambiente, ou das oportunidades de crescimento em ações da Vale, por exemplo, ou das possibilidades que o pré-sal pode oferecer, as consequências desses acontecimentos são apenas a pequeníssima parte de uma infinidade de outros fatos(ou futuros-fatos) que são importantes para nós, para criar um hábito de auto-crítica, que permita o crescimento maduro e a visão ampla dos erros para que atinjamos o topo, ou pelo menos para que haja uma melhoria própria.

quarta-feira, 4 de maio de 2011


Um dia desses eu estava em casa, entediada e com uma super vontade de sair no friozinho, encontrar algumas pessoas e aquela coisa do "Vamos tomar um cafézinho, colocar o papo em dia..." Então lá fui eu, coloquei uma jaqueta de couro para complementar o pacote de 'satisfação do dia' e saí andando pela rua, olhando as pessoas, as lojas, sentindo os perfumes se misturando ao cheiro de café. Então entrei na livraria, peguei alguns cd's e enquanto os escutava lia alguns livros. Além de ter aprendido uma receita ótima(pelo menos acho que é ótima, ainda não experimentei pô-la em prática, assim que o fizer prometo passar a receita pro blog) eu escutei músicas ótimas ! Foi um dia que me surpreendeu, praticamente tudo que eu tinha pego me agradou, então anotei poucos nomes e vou listá-los agora:



1) India.Arie, Acústico - é o novo CD e está MUITO bom !!! Vale super a pena dar uma conferida.
2)Delicatessen, Jazz+Bossa Nova
3)Joss Stone Mind, Body and Soul
4)Sade, o CD antigo, não me lembro o nome agora haha mas acabei comprando o DVD pra minha mãe para o Dia das Mães...

Enfim.. Por enquanto esses.
Besos !!

RAKUDIANAI


"Eu nada tenho de exótico para contar. Não trato de aventuras e sim de sentimentos.[...] As memórias são lábeis, cada visita ao passado altera a frágil composição do terreno em que estão baseadas. E quando os sentimentos surgem, por milagre, no vigor original, não passam de afrescos preservados debaixo da terra, cujas cores vívidas se esmaecem no ar do presente."Persio Arida, Revista PIAUÍ_55, abril, pág.28


Sen.ti.men.to(Subst.): Uma emoção; uma percepção ou atitude emocional.Uma viagem cinematográfica sobre o isolamento, a decadência e o amor - eis um resumo, por certo, vago demais para definir Balada Branca, do italiano Stefano Odoardi, que tem hoje sua última exibição na Mostra. Trata-se, na verdade, de uma obra que se constrói a partir do sentimento do espectador, principalmente aquele disposto a encarar longas cenas de poucos movimentos, em que a ação é trocada pela observação; o diálogo, pela introspecção; a beleza fugaz, pela harmonia eterna. - (Morfologia) sentir + -mento