Follow by Email

domingo, 3 de abril de 2011

Estrelas a cair

Às vezes eu me sinto como um pássaro com asas quebradas... Às vezes eu temo o meu agora e invejo onde eu estive antes. Mas é quando a sabedoria quieta me faz o exame de controle, pelo menos eu comecei uma história nova, que ninguém jamais contou. Eu aprendi finalmente dizer: O que será, será. Eu aprendi a aceitar o bem, o mal e finalmente consegui respirar... Porque embora nós gostaríamos de saber o que a vida nos reservou, ninguém sabe se as estrelas cadentes pousarão e no fundo nem gostaríamos que assim fosse. Use estes dias ingênuos para pôr sua esperança em equilíbrio, esperança pura... Imite uma criança, caia para trás na água, rie sem limitações... Sem deixar que os medos lhe conduzão à cegueira. E agora me tenho sob-análise...
É a corda que me guia, enquanto se desgasta finamente ?
Eu estou desabando pelo suposto amor da vida ?
É o peso na mente, um pássaro pesado engaiolado...

Diga:
O que será, será. E aceite que as coisas nunca estão sob o nosso total comando, afinal ninguém sabe quando as estrelas cadentes chegarão. Mas apesar disso, elas sempre chegam.

Nenhum comentário:

Postar um comentário