Follow by Email

domingo, 3 de abril de 2011

Liberdade eterna

Gostaria de sentir aquele olhar cruzando com o meu... Mas o Condicional foi usado com sabedoria.
Hoje percebi - Finalmente - que a história não vingaria, era apenas mais um capítulo de minha biografia, um capítulo cheio de inocência, transbordando ilusões de menina-mulher, às vezes mais menina, às vezes mais mulher. Era belo, puro mas ao mesmo tempo misterioso e envolvente, um misto que criara algo quase místico... Talvez seja bobagem, tantos adjetivos... No fundo era imaginação, sonho ! Mas para os sonhos não existem limites nem ética, são apenas sonhos, baseados no desejo mais efêmero... Cheguei a pensar... Prefiro viver um amor eterno de juras efêmeras a um amor efêmero de juras eternas. Um pensamento que permite muitas interpretações , mas não gosto de limitações, gosto das asas... asas da mente, asas dos sentimentos, da maturidade, da juventude, asas simplesmente livres para perseguir sonhos eternamente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário